Translate

sexta-feira, 18 de março de 2011

Estes versos escrevi no ano de 2006, logo após o Tsumani da Indonésia. Estava na gaveta e com as últimas ocorrências do Japão, resolvi divulgar no Blog. Não é exatamente um poema,
é o que senti na época e estou sentindo agora!
Porque o sentimento é o mesmo de qualquer povo ao passar por essa tragédia; angústia, apreenção e tristeza. Só que a cada Paíz difere, talvez devido  as religiões e seus entendimentos, e o mesmo se dando a aceitação. Não sentem revolta, apenas força e fé de um novo recomeço. As vezes dá a sensação que são frios, mas o que fazer, se não há culpados, apenas, nós os humanos fazemos parte da Natureza que Deus criou e juntos fazemos parte dessa criação.E o nosso criador deu o maior poder ao Universo!

ONDAS
             GIGANTES

Estirados sobre o lençol de areia,
tranquilas, em aproveitar os momentos mágicos,
a qual a natureza os presenteia,
olham ao redor, tudo é sonho e fantastico!

A praia naquela hora impregnada de turistas,
dando afazeres aos nativos do lugar!
Pessoas idôneas, escritores e artistas,
entregam-se com a alma á calma do mar!

Ao longe as montanhas elevadas como seios,
acalentavam as águas em seu regaço.
O sol, suas espadas cortavam os anseios,
clareando a tudo enquanto no horizonte,
unem-se em um grande abraço!

Crianças espalhadas por toda extensão da areia,
constroem castelos enquanto a sonhar!
Com histórias inventadas de uma sereia,
que salvou muitas crianças da fúria do mar!
...........

Como uma fera, jogando-se sobre as vítimas,
em formato de massa homogênea e nefasta,
petrificados ficam a espera, e aproxima
o momento drástico e tudo e a todos arrasta!

Povos da beleza e do amor das ilhas,
tragados traiçoeiramente, pela natureza do lugar!
Levando sorrateira com brutalidade suas filhas,
arrancando-os dos seios o rebento a mamar!

Sem os filhos a dor estilhaça os corações,
levando a esperança, deixando tristezas e dores! 
Esperam, que ainda vivam mas as desilusões:
estiradas sem vida no arenoso chão,
ali está seu povo, seus filhos e seus amores!

Sem classe social, uma só raça um só povo,
quem sobrou renasceu á vida, e com fervor ora!
As crianças magoadas com a sereia e de novo
as invocam, para que traga de volta,
pelo menos a paz e recomeçar tudo agora!

O que resta é orar a Deus e de joelhos se reúnem,
sem saber, agradecem ou choram por suas vidas.
Mas com certeza em uma só dor se unem,
porque Deus precisava de anjos,
                         [e antecedeu suas partidas!

A.C.Amorim
ano 2006

                 <<<<<>>>>>