Translate

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

A
   MARÉ

Esse mar imenso de água azul,
forma ondas.
Que na quebra  suas espumas
vem sorrateiras,
umedecer com seus beijos,
a branca areia!
Esperando-a com alegria
e de braços abertos,
recebe a cada volta, na sua amplidão!
A praia sem movimento dos transeuntes,
quase deserta,
abraçados um ao outro
o murmurio quebra
o silencio da solidão!


Novamente a maré escoa,
volta seu curso.
Deixando a areia só ouvindo o canto,
do vai e vem,
que de tristeza entoa!
Na espera do retorno vislumbra,
o grande painel dos amantes.
Unindo-se no horizonte em convexo,
o encontro das águas: céu e mar!


Logo o retorno é infalível,
previsto em euforia.
A onda formada em espuma estoura,
trazendo um espetáculo nunca visto!
Lança-se sobre a areia com frenesi.
E tomando-a para si,
que ansiosamente esperava,
mata a sede e se deixa banhar!
É só um momento breve,
mas intenso.
Sabe que logo estará com suas
angústias,
quando a água retornar,
para esse mar imenso!


A.C.Amorim